Comer bem também se aprende na escola


Saiba como promover uma aula saudável e sustentável

O hábito de vida da população brasileira mudou muito nos últimos anos. A procura por uma alimentação mais saudável, a prática de esportes e uma rotina equilibrada são pontos em destaque. O brasileiro busca cada vez mais a receita para a longevidade e, consequentemente, a demanda por produtos frescos cresce significativamente. Essa tendência indica que os consumidores passaram a valorizar mais a qualidade dos produtos. Assim, aquilo que talvez fosse apenas um novo ramo de negócio se tornou uma categoria de relevância.

Contudo, surge a importância de refletir sobre o caso. Assim, a educação se faz presente no dia a dia dos alunos que vivenciam essa atmosfera. Por um lado, os pais insistem que os filhos se alimentem bem, por outro os jovens são fissurados pelos produtos industrializados. E a escola, através de projetos pedagógicos, se torna uma intermediária nesse assunto.

No Colégio Estadual Eliza Maria Dutra, localizado no município de São Gonçalo, os alunos do 8º ano entraram de cabeça nesse universo, através do projeto Alimentação Saudável & Sustentável, que propõe um debate desde a composição até o aproveitamento integral dos produtos.

Mas para que as aulas se tornassem efetivas, vários objetivos foram propostos, antes de colocar em execução o trabalho prático, como: aprender sobre as características e a importância dos nutrientes; reconhecer a necessidade de uma alimentação adequada; utilizar a pirâmide alimentar como base para se nutrir de forma saudável; perceber o quão fundamental é a alimentação saudável na manutenção do organismo e na prevenção das doenças; comparação entre a composição nutricional dos alimentos naturais e a dos industrializados; análise da composição dos resíduos alimentares que podem ser utilizados na preparação de receitas; compreensão do aproveitamento integral dos alimentos como forma de evitar o desperdício e reduzir a quantidade de resíduos; e relacionar o aproveitamento integral da comida à economia doméstica.

Legenda: A produção foi exposta na parede da escola, onde todos os alunos puderam consultar

Após todo esse processo de aprendizagem e compartilhamento da informação, os estudantes da 801 realizaram um trabalho oral, detalhando a composição dos alimentos, onde todos os nutrientes e a importância deles foram abordados. Cada aluno apresentou também duas receitas de aproveitamento integral dos alimentos, sendo uma doce e uma salgada.

Em um terceiro momento, foi colocada no quadro uma lista de 30 alimentos e suas respectivas composições nutricionais. Eles ficaram expostos e foram ultraprocessados e mantidos ao natural. Cada dupla recebeu uma situação problema relacionada a alguma carência nutricional. Eles precisaram analisar cada um dos itens expostos no quadro e indicar cinco que poderiam prevenir ou combater a doença da situação problema recebida.

O último momento foi a produção de um livro com as receitas de aproveitamento integral dos alimentos a partir da pesquisa dos alunos e do teste delas utilizando a cozinha da escola. De acordo com o coordenador do projeto, Leonardo Ferreira dos Santos, os estudantes ficaram espantados com a quantidade de calorias e sódio em alguns produtos industrializados. “Caraca! O Fandangos tem muito sódio e quase não tem nutrientes”, foi uma das frases ditas por um dos alunos. Por outro lado, o projeto também serviu para conscientizar os estudantes sobre a importância de se alimentar bem, além de oportunizar novas experiências. Como um aluno, que não comia abóbora, mas comeu diversos pedaços do bolo feito com a casca do vegetal.

Uma alimentação saudável é essencial em todas as fases da vida, mas em cada uma delas o que comemos tem uma importância diferente. Quando somos crianças, nossa alimentação é voltada para o crescimento de nossos ossos, pele, músculos e órgãos. Nesse período brincamos, pulamos, aprendemos a ler e a escrever, entre várias outras coisas, por isso uma ingestão balanceada é imprescindível, pois precisamos da energia necessária para todas essas atividades. É também nessa época da vida que formamos nossos hábitos alimentares, ou seja, que “aprendemos” a gostar ou não de certas coisas.

Para Leonardo, a escola tem extrema importância na formação dos hábitos alimentares de seus alunos, e a partir de aulas de culinária o professor pode apresentar vários alimentos às crianças. “Com receitas que envolvam nutrientes saudáveis, professores e alunos podem provar vários pratos que eles mesmos prepararam. Dessa forma, além de despertar o espírito de equipe nas crianças, ainda se estimula sua curiosidade para provar coisas novas, além de reaproveitar algumas comidas colocando em prática a teoria de ser sustentável”, ratifica o professor.


Por Richard Günter
Colégio Estadual Eliza Maria Dutra
Estr. do Sacramento, 475 – Sacramento – São Gonçalo/RJ
CEP: 24735-075
Tel.: (21) 3119-5943
E-mail: elizamariadtr@gmail.com
Fotos cedidas pela escola

Deixar comentário

Seu email não será publicado