RELATÓRIO ANUAL

O Programa de Projetos e Ações Sociais (PPAS) ratifica a preocupação da Appai – Associação Beneficente dos Professores Públicos Ativos e Inativos do Estado do Rio de Janeiro – de direcionar sua atuação para a busca do equilíbrio social. Neste sentido tem como finalidade viabilizar o apoio aos projetos de cunho assistencial e solidário desenvolvidos por instituições privadas e governos –  municipal, estadual e federal -, a fim de que sejam realizados e gerem a curto, médio e longo prazos um maior impacto social, que satisfaça atendendo, integral ou parcialmente, as necessidades dos grupos que se colocam predispostos a contribuir com a qualidade de vida, dignidade e bem-estar de pessoas menos favorecidas.

No Programa, o conjunto de projetos acompanhados e apoiados pelo PPAS, além da participação do trabalho voluntário, dilui-se em setores relacionados ou que perpassam a saúde, educação, meio ambiente/sustentabilidade, cultura, esporte, lazer, indo ao encontro das necessidades de seu público-alvo, formado por crianças, adolescentes, portadores de deficiência e idosos.

Portanto, é oportuno registrar que a Appai, através do Programa de Projetos e Ações Sociais (PPAS), exerce papel relevante junto a várias entidades congêneres e instituições diversas como, por exemplo, o hospital do Câncer, a Sociedade dos Amigos da Pediatria do Hospital Gaffrée e Guinle (SAPE), o Hospital Geral de Bonsucesso, entre outros, para prestar assistência social, contemplando, dessa forma, uma quantidade expressiva de assistidos.

O Projeto Carioquinha é uma iniciativa da Appai através do PPAS – Programa de Projetos e Ações Sociais, para melhorar a qualidade no atendimento e possibilitar melhor desempenho no desenvolvimento integral de crianças de 1 ano e 11 meses a 5 anos de idade, matriculadas em creches comunitárias.

Nas visitas realizadas às creches cadastradas no programa da Appai, identificou-se a dificuldade dessas instituições em oferecer atendimento adequado por falta de educadores capacitados e de prédios estruturados que atendam às necessidades primárias das crianças. Esta demanda, uma realidade presente também em comunidades de baixa renda, com elevados índices de violência, onde as pessoas estão privadas de atividades de cultura e lazer, necessita de reforço através de programas educativos adequados.

A maioria dessa população sobrevive com seus direitos básicos negados, tais como acesso à saúde, saneamento básico e educação. Apesar de garantidos na Constituição de 1988, percebe-se que a cada dia aumentam os bolsões de pobreza nas comunidades do Rio de Janeiro, bem como a ineficiência de políticas públicas para o atendimento da população marginalizada.

Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, há mais de 30 milhões de brasileiros analfabetos funcionais com idade acima de 10 anos, e para a ONU o Brasil ainda tem índices vergonhosos, pois mais de 14% da população do país ainda é analfabeta. Portanto estimular a criança nessa primeira fase, dar real apoio e proporcionar o incentivo das habilidades na fase inicial do aprendizado é relevante para impulsionar a mudança desse cenário da educação brasileira.

A partir desses dados e visita técnicas a essas instituições, o PPAS, movido por seus fortes objetivos, propôs um projeto de melhoria na qualidade do atendimento oferecido às crianças, através da formação de parceria entre a Appai e a instituição cadastrada, com investimento social voltado para reforma do espaço (prédio), bem como a adequação às normas de segurança, capacitação das educadoras, assessoria técnica. Além da implantação da escola de pais.

Através do investimento à instituição cadastrada/escolhida, proporcionar melhores condições para o desenvolvimento integral das crianças que moram em comunidades. Fortalecendo a garantia de direitos preconizadas no ECA.

• Capacitar os educadores da creche comunitária/ escola comunitária, através da formação continuada com orientação da pedagoga, e da participação nas palestras da Educação Continuada.

• Promover a adequação dos espaços das creches às exigências legais do Ministério Público, do CMDCA – Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e dos Conselhos Tutelares.

• Realizar melhorias nas instalações físicas, adquirir equipamentos e material pedagógico.

• Criar a Escola de Pais como espaço de reflexão, palestras, e interação familiar com a comunidade e com a creche.

• Incentivar a diretoria a se articular para a sustentabilidade da instituição, através do desenvolvimento de rede de parceiros, e de proteção social com diversos atores.

• Estimular a aproximação com as prefeituras municipais, com os CRAS- Centros de referência da Assistência Social, e com a CRE – coordenadoria regional de Educação.

• Capacitação através do benefício da Appai – Educação Continuada

  1. Seleção da Creche:

O processo de seleção será realizado pela equipe do PPAS, de acordo com a diretoria da Appai, através da realização de visita técnica, observando-se alguns critérios como atendimento de baixa qualidade, necessidade de reformas, e necessidade de capacitação dos educadores.

  1. Formação da Parceria

Estabelecimento dos critérios do Apoiador

Avaliação de necessidade financeira da instituição parceira

Planejamento executado entre as partes interessadas

Avaliação Pedagógica/Relatório para inserção

  1. Visitas técnicas e Relatório Social

Verificação de registros, documentos, doações recebidas, parcerias.

Número de crianças atendidas, gasto mensal para o atendimento, entre outros.

Participação dos familiares, compromisso com a educação dos filhos.

Avaliação da capacitação da equipe técnica, entre outros.

  1. Implantação

Acompanhamento da equipe técnica do PPAS, nas várias etapas de implantação do projeto até a conclusão do mesmo, com a avaliação suporte setor Financeiro da Appai.

  1. Acompanhamento

4 visitas mensais à instituição, aplicação de questionário e relatório social.

  1. Avaliação de resultados

Desenvolvido Indicadores de desempenho, entendendo como marco zero a situação da instituição antes da implantação do projeto, a partir de então obter dados quantitativos e qualitativos das ações pedagógicas e sociais.

  1. Inclusão no Projeto Nutrindo da Appai

Doação mensal de leite

  1. Criação da Escola de Pais

Para fortalecimento da cidadania.

  1. Duração do projeto é de 11 meses. Janeiro é o mês de seleção da creche a ser apoiada.

A população do Estado do Rio de Janeiro possui um dado alarmante: mais de meio milhão de pessoas sobrevive abaixo da linha da pobreza, gerando múltiplas privações no acesso a bens e serviços, o que reflete fundamentalmente no processo saúde-doença.

A desnutrição, e a exclusão social dos usuários dos serviços públicos e de instituições parceiras move a Appai para o atendimento adequado dessa demanda através do Projeto Nutrindo que visa atender a diversas organizações sem fins lucrativos, contribuindo para a suplementação alimentar. Especialmente pessoas em tratamento contra o câncer, HIV e crianças de 0 a 6 anos

Famílias, crianças, adolescentes, jovens e idosos devidamente cadastrados em organizações sociais como creches, abrigos, asilos, e em acompanhamento médico-hospitalar.

O desenvolvimento do presente projeto se deu a partir da percepção das necessidades das organizações sem fins lucrativos em adquirir alimentos para atender sua demanda. Juntando a isso a dificuldade no tratamento e recuperação devido à má alimentação de pacientes com as mais distintas patologias. Dessa forma, o primeiro propósito do projeto é o de apoiar organizações que prestam este tipo de atendimento, fornecendo alimentação complementar oportunizando a alteração positiva da realidade nutricional.

Oferecer um complemento alimentar seguro e adequado, de alto valor nutritivo para crianças, adolescentes, e idosos de baixa renda, ou situação vulnerável de saúde.

Através de doações contínuas de latas de leite e de cestas básicas para entidades que prestam este serviço aos seus usuários. As mesmas serão cadastradas e avaliadas.

Serão realizadas visitas técnicas às entidades e aplicação de formulários de prestação de contas, com depoimento dos usuários atendidos.

Permanência no projeto por um ano, podendo ser renovado.

Com as exigências do mercado de trabalho no Rio de Janeiro, juntando-se aos vários requisitos exigidos pelas empresas, cada vez mais o sonho do primeiro emprego fica mais distante, devido à falta de experiência e qualificação dos jovens na faixa etária entre 15 e 17 anos. Por motivos como esses, cada vez mais cedo, os recém-formados precisam estar inseridos no mercado de forma empreendedora, devendo ser iniciados ainda como “jovem estudante”.

Dessa maneira, o PPAS visa contribuir com a oportunidade de novas experiências a esses jovens, através de uma parceria com a Fundação São Martinho, que lhes promovam a inserção ao mundo do trabalho, possibilitando a melhoria de sua qualidade de vida social, bem como potencialidades como agentes transformadores de sua própria história.

A Appai realiza projetos no campo da assistência social, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida de usuários atendidos em várias instituições que estão devidamente cadastradas no PPAS – Programa de Projetos e Ações Sociais. Nos diversos acompanhamentos às instituições apoiadas, várias reflexões foram realizadas acerca da dificuldade de inserir o adolescente atendido, e outros da comunidade, no mundo do trabalho.

O agravamento da situação de pobreza das famílias se dá não somente pela ineficiência das políticas públicas, mas também pela falta de oportunidade de trabalho e renda para os jovens, pois a grande maioria constitui família, se volta para o subemprego, enquanto outros são cooptados pelo crime, pois querem resposta imediata às situações econômicas e sociais vulneráveis em que se encontram.

Assim, assumindo seu compromisso como agente de transformação social a Appai desenvolve esse projeto de investimento social através de parceria para contribuir com a formação de adolescentes e jovens estudantes, acreditando num futuro mais promissor através do trabalho e emprego, e como agente de mudança dentro de sua própria comunidade.

Oportunizar para 200 jovens formação adequada e qualificada para o mundo do trabalho.

Encaminhar para empresas parceiras.

Contribuir para o equilíbrio social.

Até final de 2017 formar e encaminhar ao mercado de trabalho os jovens formados no curso Mundo do Trabalho (implementado pela Fundação São Martinho).

Prestar educação inclusiva.

Receber na Appai os jovens aprendizes formados no curso.

Jovens de 15 a 17 anos (incompletos)

Estudantes do ensino médio e cursos técnicos.

Estabelecidos pela instituição parceira.

E Lei 10.097/00, que regulamenta o programa.

1. Abraço Campeão
2. Abrigo do Cristo Redentor
3. Acam (Fibrose Cística)
4. Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida
5. Aceni
6. AMAAB
7. Amac
8. AMASLI
9. AMUIG – Associação de Mulheres da Ilha do Governador
10. Anjos de Asas Mundo Azul
11. Asilo Luz de Escol
12. Associação Beneficente de Combate ao Câncer – Rio Abrace
13. Associação Cine & Rock
14. Associação Civil Corrente pelo Bem
15. Associação Cristã Vicente Moretti
16. Associação das crianças Excepcionais de Nova Iguaçu
17. Associação União e Paz
18. Betel – Casa de abrigo
19. C.C.P.U.A – Centro Comunitário Parque Unidos do Acari
20. CAAAIDS – Centro de Atenção e Atendimento Aids
21. Casa de Apoio a Criança com Câncer São Vicente de Paula
22. Casa de Recuperação Valentes de Davi
23. Casa Pai Fabiano
24. Casa São Francisco de Assis – Idosos
25. Centro de Recuperação Porta Estreita
26. Centro Espirita Casa de Jesus
27. Centro Social Caminhos do Bem
28. CHOCOBIN
29. CIACA
30. Comitê de Mulheres do Panttanall
31. Comitê Meu Peixinho Dourado
32. Creche Alegria das Crianças (Brasileirinho)
33. Creche Amanhecer
34. Creche Cantagalo (Programa Brasileirinho)
35. Creche Comunitária Mães Trabalhadoras l
36. Creche Comunitária Mundo Encantado da Criança
37. Creche Comunitária Semente do Amanhã
38. Creche Dois Irmãos (Programa Brasileirinho)
39. Creche Iracema Garcia
40. Creche Mães Trabalhadoras II
41. Creche Pingo de Gente (Programa Brasileirinho)
42. Creche Sossego da Mamãe (Programa Brasileirinho)
43. Creche Tia Anastácia (Programa Brasileirinho)
44. Creche Vitória Régia
45. Cruzada do Menor – Emilien Lacay
46. Cruzada do Menor – Plantando o Amanhã
47. Departamento de Assistência Social – PMERJ
48. Deus Cuida de Mim
49. Disque Denuncia
50. Espro
51. Eu sou do Meio
52. Federação de Bandeirantes do Brasil
53. Femucoop
54. Fraternidade Assistencial Cristã – Creche Nosso Ninho
55. Grupo Cultural Nosso Ritmo
56. Hemorio
57. Hospital Nossa Senhora do Loreto
58. Hospital Universitário Pedro Ernesto
59. INACRE
60. INCAvoluntário
61. Instituição Maria de Nazareth – Casa da Mãe Pobre
62. Instituto da Criança
63. Instituto Fernandes Figueira
64. Instituto Nacional Lar dos Sonhos
65. Jesus é o Pão da Vida
66. Lar de Frei Luiz 3539-9553
67. Mão Amiga Lutando pela vida
68. Movimento de Mulheres de Apoio Humanitário
69. Movimento de Mulheres do Parque Horácio
70. Mulheres Unidas pela Paz Guaratiba
71. ONG – Abrigo Evangélico Caminho da Felicidade
72. Ong ALFA – 2221-0817 / 99977-2322
73. Ong Corrente pelo Bem
74. ONG G7
75. Paróquia São Mathues – Pastoral da Criança
76. Projeto Morro do Céu
77. PROJETO PÉROLAS – 98243-0852 / 3165-4710
78. Projeto Recriando Raízes – 3847-0992
79. Projeto Semeando o Amanhã 2148-7753 / 98280-7988
80. Projeto Social Escola Bíblica da Tia Lídia 2471-6711
81. Projeto Social Pedra Azul
82. Regatando Vidas Já
83. Resgatando Vidas 2661-4005
84. São Martinho
85. SAPE – Sociedade dos Amigos da Pediatria do Hospital Gafrée e Guinle
86. Secretaria de Assitência Social de Nova Iguaçu
87. Sociedade Bíblica do Brasil
88. Transformar sorrindo
89. Varanda Literária (Ação da Cidadania)
90. Viva Rio
91. Voluntários da Paz

 NOTÍCIAS

RELATÓRIO ANUAL

PROJETO NUTRINDO: ENVIE O SEU PEDIDO DE APOIO