Verde que te quero verde


Sensibilizar os alunos nas questões de preservação do meio ambiente, transformando-os em multiplicadores dentro da comunidade onde estão inseridos e preparando-os para exercer uma postura de cidadão ecologicamente correto. Com esse objetivo, alunos da Educação Infantil e do primeiro segmento do Ensino Fundamental da Escola Municipal Oscar José de Souza, em Itaguaí, participaram da sexta edição do projeto Verde que te quero verde, que este ano teve como tema “Meio ambiente e saúde: uma harmonia entre o bem-estar físico, psíquico, social, espiritual e ambiental”.

Segundo a diretora-geral da escola, Selma Cândida de Lima, a proposta da atividade é sensibilizar as crianças e seus familiares. “Acreditamos que não conseguimos conscientizar, mas sim sensibilizar, mostrando que o meio ambiente começa por cada um de nós, desde o cuidado com o corpo, passando pela limpeza da casa onde moramos, da própria escola até abranger toda a comunidade. A gente observa a mudança de comportamento durante esses anos em que o projeto é desenvolvido. Hoje, quando uma criança vê um papel no chão, ela abaixa, pega e o deposita numa lixeira. É um trabalho de toda a equipe que dá o exemplo, e isso vai além dos muros da escola. Por isso, o projeto é uma prática ambiental que permanece continuamente e não culmina com a mostra das tarefas desenvolvidas pelas crianças”, esclarece.

Além de familiares, a mostra contou com a presença de coordenadores da Secretaria Municipal de Educação e do Meio Ambiente, além de representantes de empresas que atuam em parceria com a escola. Os visitantes assistiram a apresentações de dança, coreografias e declamação de poesias. Também puderam visitar estandes com dobraduras, maquetes e pinturas confeccionadas com materiais recicláveis e reutilizáveis. “Esses trabalhos não foram feitos apenas para essa apresentação, mas elaborados e construídos em sala de aula ao longo do ano. Até porque essa consciência que buscamos implementar tem de ser regada diariamente”, enfatiza a orientadora pedagógica da escola, Quelly da Fonseca Vieira. Para ela, a inclusão de alunos especiais é outro diferencial no trabalho desenvolvido na instituição. “Nós aplicamos a inclusão com inserção, pois não adianta colocar uma criança numa sala de aula em que ela fique isolada. Aqui eles participam ativamente das atividades ao lado dos outros estudantes”, diz.

A aluna cadeirante Talita Barbosa Soares é um exemplo disso. Ela é portadora de hidrocefalia e de mielomeningocele, um problema congênito que afeta a espinha dorsal. Ao lado da aluna Maressa Macharet, portadora de síndrome de Down, as duas protagonizaram um dos momentos mais emocionantes da mostra ao participarem, juntamente com os colegas de turma, de uma apresentação coreográfica. Outro estudante, Andreo Coutinho Aleixo, portador de paralisia cerebral parcial, também se destacou. Ele é autor do poema “Canteiro misterioso”, que foi selecionado por uma comissão da Secretaria Municipal de Cultura e fará parte de um livro de poesias que será publicado pela Prefeitura da cidade. “O Andreo tem dificuldade de escrever manualmente, mas o raciocínio é excelente. Ele usa o computador para digitar as suas produções textuais”, explica Mariângela da Conceição Alves que, juntamente com Edirlene Tazoti, é responsável pela sala de recursos multifuncional. Nesse espaço são desenvolvidas atividades a partir das dificuldades apresentadas em sala de aula.

Vanderleia Cristina de Oliveira é coordenadora de educação ambiental da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Seu trabalho é acompanhar os projetos sobre meio ambiente desenvolvidos na rede municipal. “Não trazemos um projeto pronto para a escola, mas observamos o contexto em que ela está inserida e o que a comunidade está precisando discutir. É gratificante constatar o quanto todos vêm se preocupando com essa temática”, constata. A coordenadora pedagógica da escola, Sandra Fonseca, também comemora os resultados que já estão sendo colhidos com o projeto e conclui: “O que buscamos é plantar nos nossos alunos a semente do respeito ao meio ambiente e que eles possam difundir essa prática”.


Por: Tony Carvalho
Escola Municipal Oscar José de Souza em Itaguaí
Rua Lucia Tieme Hara, s/nº – Santana – Itaguaí/RJ
CEP: 23810-170
Tel.: (21) 2687-0912
E-mail: oscarjoseescola@yahoo.com.br
Diretora-geral: Selma Cândida de Lima
Fotos: Marcelo Ávila

Deixar comentário

Seu email não será publicado