Produção centenária


Comunidade escolar usa centenários de várias personalidades

Você sabe o que tem em comum Luiz Gonzaga, Jorge Amado, Herivelto Martins, Nelson Rodrigues e até o personagem de ficção Tarzan? Todos eles estão completando 100 anos e foram tema da Feira Literária do Centro Educacional Carlos Drummond de Andrade, em São Gonçalo. Para desenvolver o projeto, os alunos da Educação Infantil e dos dois segmentos do Ensino Fundamental, monitorados pelos professores-orientadores, realizaram atividades interdisciplinares.

De acordo com a coordenadora geral, Catarina Dornellas, a proposta foi estimular o hábito da leitura e provocar situações que levem os alunos a um processo ativo de conhecimento, essencial para o desenvolvimento de competências e habilidades das práticas leitoras e escritoras. “Estimulamos nossos alunos a utilizar temáticas, técnicas e procedimentos que elevem o grau de aprendizagem. Como se trata de uma feira literária, o projeto foi desenvolvido buscando fazer com que os alunos percebessem que a leitura é muito maior que o ato de ler. É observar o mundo de infinitas maneiras e expressá-lo com diferentes linguagens. De forma lúdica, as diversas linguagens apresentadas serviram de incentivo para o desenvolvimento da criatividade, do raciocínio e, principalmente, do hábito de ler”, justifica.

As turmas da Educação Infantil abordaram a história de Tarzan, filho de Aristocratas ingleses que desembarcam em uma selva africana após um motim e que, com a morte de seus pais, é criado por macacos. Segundo a coordenadora da Educação Infantil, Carla Figueiredo, dentro desse universo de fantasia foi possível trabalhar com as crianças questões ligadas à família e suas diversidades, além da relação com os animais e com a natureza. “A afinidade que as crianças têm com seus bichos de estimação é a mesma que o Tarzan tinha com os animais da floresta. Aproveitamos essa analogia e, de forma lúdica, abordamos diversos aspectos que contribuem para o desenvolvimento da criança. Como atividade prática, os alunos construíram uma floresta da forma como eles próprios imaginaram”, acrescenta.

As turmas de 1º, 2º e 3º anos abordaram o centenário de Luiz Gonzaga, o rei do baião. Os alunos trabalharam com argila e sucata para reproduzir os temas que o cantor explorava em suas músicas. A professora Elizabeth Lima destaca ainda a produção de literatura de cordel feita pelos alunos. “Os alunos descobriram um Brasil sertanejo com suas terras áridas e diferentes ritmos como o baião e o xote”, enfatiza. Já as turmas de 4º e 5º anos falaram da sensibilidade da obra de Herivelto Martins e da sua biografia. “Os alunos fizeram uma viagem pela vida do artista, desde as dificuldades na infância, passando pela adolescência até chegar à fase adulta”, esclarece a professora Flávia Marinho.

Os alunos de 6º e 7º anos retrataram o dramaturgo, jornalista e escritor Nelson Rodrigues. O professor de História, Marcelo Peres, conciliou o conteúdo programático da disciplina com o projeto: “No 6º ano fizemos uma linha do tempo começando pela pré-história até chegar à história, com a invenção da escrita. Depois, passamos pelos períodos da idade antiga, média, moderna até a contemporânea. Baseado nisso, montamos a linha do tempo com a história de vida do Nelson Rodrigues. O resultado foi fantástico, com os alunos alcançando os objetivos que tínhamos traçado”, explica.

A professora de Língua Portuguesa, Anete Loiola, trabalhou os textos de Nelson Rodrigues ligados ao futebol. Após uma análise dos recursos estilísticos utilizados pelo autor, os alunos foram incentivados a produzir seus próprios contos. O professor de Matemática, Eduardo Marinho, aproveitou a temática sobre o futebol para trabalhar os números inteiros e estimulou os alunos a elaborarem jogos de raciocínio lógico.

As turmas de 8º e 9º anos enfocaram o escritor Jorge Amado. A professora de Língua Portuguesa, Magnólia de Fátima, utilizou vários contos do autor para trabalhar o conteúdo gramatical e a produção textual. Os alunos também fizeram apresentações de dança destacando alguns personagens famosos do escritor. A feira foi aberta aos familiares que puderam visitar a exposição de trabalhos e assistir às apresentações. A professora de Educação Artística, Carmen Santann’a, trabalhou com os alunos a parte de comunicação visual dos estandes, auxiliando na produção de maquetes, instalações e cartazes. “É um trabalho gratificante, principalmente quando vemos que tudo ficou muito bonito”, admite.

Durante a culminância do projeto, os alunos foram avaliados pelos professores que atribuíram notas pelo conteúdo, criatividade, linguagem, organização e recursos materiais. “Estamos satisfeitos pelos resultados obtidos, não apenas pelo que vimos na culminância do projeto, mas por todas as etapas vivenciadas pelos alunos. Eles demonstraram que aprimoraram seus conhecimentos e desenvolveram ainda mais a interatividade entre eles e os professores”, conclui a diretora geral da escola Lourdes Zampirolli.


Por: Tony Carvalho
Centro Educacional Carlos Drummond de Andrade
Rua Dr. Jurumenha, 2741 – Barro Vermelho – São Gonçalo–RJ
Tels.: (21) 2628-1840 / 2624-0193
Diretora: Lourdes Zampirolli
Fotos: Marcelo Ávila

Deixar comentário

Seu email não será publicado