Pôr em cena


Clássicos da literatura infantil são protagonistas em projeto pedagógico

Conhecidos no mundo inteiro por fazerem a imaginação das crianças voarem alto, os personagens João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, Pinóquio, Patinho Feio e os Três Porquinhos voltaram a fazer parte do dia a dia dos alunos da Escola Municipal Orlando Francisco, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Desde o início do ano letivo, o orientador pedagógico da escola e os professores das turmas do primeiro ao terceiro ano trabalham temas como extinção, diferença, respeito, obediência, meio ambiente e hábitos alimentares a partir das histórias dos clássicos da literatura infantil.

O objetivo seria resgatar valores, intensificar o processo de alfabetização e, ao mesmo tempo, tornar as aulas mais ricas e prazerosas. “Esses livros apresentam a capacidade de despertar o interesse pela literatura e fazer com que os alunos tenham uma alfabetização rica e contextualizada”, justifica Roseane Gomes, diretora adjunta da escola. O projeto foi um passo importante também para fazer com que eles tivessem acesso a esse tipo de leitura.

Segundo os educadores, alguns clássicos eram desconhecidos dos estudantes. “Alguns até já tinham ouvido falar dos personagens e dos títulos, mas ignoravam o enredo das histórias”, conta Roseane. Logo que começaram a fazer algumas perguntas para pré-selecionar os títulos que seriam trabalhados, perceberam que a dificuldade de acesso a esses livros era o principal motivo do desconhecimento. “Algumas crianças diziam que os pais não tinham tempo para ler com elas, enquanto outras não tinham livros em casa”, completa a educadora.

Ao identificar tal problema, a equipe docente decidiu que os clássicos da Literatura Infantil seriam levados aos alunos. Como a escola não possui um espaço para que os estudantes acessem o material de apoio pedagógico, uma das ações do projeto foi a Biblioteca Itinerante: uma estante com diversos títulos, que passa por várias salas de aula durante a semana.

Outra ação importante foi o trabalho desenvolvido com os pais: eles passaram a ser convidados para participar da culminância dos projetos. Para a professora do terceiro ano, Kátia Pereira, a participação dos responsáveis é imprescindível no processo de letramento. “Realizar esse tipo de atividade requer tempo e dedicação. Nós precisamos que a família se envolva e, ao fazermos um trabalho diferenciado, atraímos os pais e fazemos com que eles participem mais intensamente da rotina escolar”, afirma Kátia.

A seleção dos títulos levou em consideração os temas que os profissionais de educação consideraram mais adequado. Além de abordar o enredo de cada história, os professores utilizaram livros para desenvolver o reconhecimento de letras, sílabas, palavras e gêneros gramaticais. Trabalharam também a coordenação motora e a criatividade com os alunos mais novos. Já os educandos do terceiro ano são orientados a adaptar o texto e criar um final diferente para a história.

Apesar de, na maioria das vezes, serem utilizados os mesmos livros nas diferentes turmas, os exercícios neles baseados se tornam mais complexos dependendo da série. O tempo que cada obra é trabalhada também depende do grau de dificuldade encontrado pela turma. Cada história pode demorar de quatro a oito semanas em cada sala de aula.

O projeto foi levado para a escola através da professora Solange Matos, que atualmente leciona para alunos do primeiro ano. Hoje, por meio dos clássicos da Literatura Infantil, professores de diferentes segmentos despertam a atenção dos estudantes para valores muitas vezes esquecidos e fazem dos pais aliados no processo de alfabetização e letramento dos educandos.


Por: Marcela Figueiredo
Escola Municipal Orlando Francisco
Rua José Antonio Nohra, 24 – Agostinho Porto – São João de Meriti/RJ
CEP: 25545-330
Tel.: (21) 2650-2088
E-mail: emorlandofrancisco@hotmail.com
Direção: Nilcenéa Marinho
Fotos cedidas pela escola

Deixar comentário

Seu email não será publicado