Mercado de trabalho se abre para a “maior idade”


Que tal um programa que desse oportunidade para os seniores retornarem ao trabalho, sem ter que ficar “passando o pires” de porta em porta tentando convencer o mercado, diga-se “recrutadores”, de que ele ainda tem potencial para desenvolver? A resposta já vem sendo dada através de várias organizações e entidades de classe que estão discutindo estratégias futuras, ações, contratações e possíveis gerações de negócios que possam absorver toda essa crescente mão de obra ativa. Mas os desafios para a quebra dos paradigmas atrelados à maturidade ainda são bastantes significativos.

Talvez seja por isso que poucos saibam conviver e entender o processo natural de humanização que é validado pelo envelhecimento. De acordo com dados fornecidos pelas Nações Unidas, em 2050 o número de idosos no mundo baterá a casa dos 2 bilhões; em 2000 esse número era de 606 milhões. No Brasil, segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística –, em 2010, o número de idosos acima de 60 anos era de 23,5 milhões. A projeção para 2050 indica um aumento de cerca de 30% desse segmento da população no país, algo estimado em torno de 65 milhões.

 

Quebrando paradigmas de que são velhos, incapazes e desqualificados

Para que a inclusão dessa mão de obra faça parte da rotina do mercado, algumas barreiras ainda precisam ser rompidas, entre elas o estereótipo de que essa turma não tem potencial para acompanhar a crescente evolução tecnológica pela qual o mundo está passando. Uma outra quebra é a desvinculação do rótulo de inflexibilidade, isto é, de que são incapazes, desqualificados e não fortes o suficiente para a realização das demandas profissionais do mundo atual.

Entretanto, em meio a toda essa discussão, contraditoriamente, a economia na longevidade vem ganhando cada vez mais destaque nesse cenário. De acordo com pesquisas, a população acima dos 50 anos está aumentando e a taxa de natalidade, diminuindo. Estima-se que, em 2040, aproximadamente 57% da população em idade de trabalho será formada por pessoas com mais de 45 anos. E como diria o nosso mestre Carlos Drummond de Andrade, “e agora, José”?

 

Contratando profissionais acima dos 50 anos

Mais que debater questões, muitas entidades estão arregaçando as mangas e criando soluções concretas e valorizando a sabedoria de quem já tem uma longa bagagem de conhecimento profissional e pessoal. Dentre esses visionários, destaque para a MaturiJobs uma agência voltada para o público 50+, gerando oportunidades para pessoas mais maduras continuarem trabalhando, trocando saberes, além de serem instrumento motivador e inspirador para tantos outros. É o caso também da Cencosud Brasil que, através do programa Talentos Experientes, tem gerado inclusão e contratação de profissionais acima de 50 anos para trabalhar nas suas diversas redes. Os interessados podem cadastrar currículo no aqui.

Mesmo com iniciativas louváveis de instituições públicas e privadas que visam a inclusão alinhada ao bem-estar, o IBGE alerta que o percentual dos lares brasileiros que estão sendo sustentados por aposentados cresce a passos largos. Um dos impulsionadores dessa estatística é o alto número de brasileiros abaixo dos 49 anos que se encontram desocupados, subocupados, desalentados ou até mesmo desestimulados.

 

Educação é um dos caminhos para o reingresso ao mercado de trabalho

Vislumbrando um caminho que será cada vez mais trilhado pela geração de “cabelos grisalhos”, a Appai – Associação Beneficente dos Professores Públicos Ativos e Inativos do Estado do Rio de Janeiro – vem disponibilizando aos seus professores associados, através de programas como Saúde 10 e Terceira Idade, promoção de bem-estar, mais qualidade de vida, prevenção da saúde na longevidade, bem como a expansão do relacionamento interpessoal e intergeracional como ferramenta de conhecimento, através dos passeios, corridas e outros benefícios realizados em grupos ou individualmente. Inclusive muitos dos nossos professores já começam a identificar em sala de aula a presença de alunos mais velhos que os próprios docentes.

O crescente reingresso dos seniores aos bancos escolares tem demonstrado que esse pode ser um dos caminhos para essa transformação cultural. De acordo com o Ministério da Educação a participação de educandos mais velhos nas faculdades, na conclusão do Ensino Médio e Fundamental 2, não é apenas uma boa notícia. No Ensino Superior o aumento do número de alunos com menos de 50 anos foi de 73% entre 2000 e 2010; para a faixa com mais de 50 anos foi de 182%. Um crescimento de mais de 100%.

 

Mercado aquecido para os executivos cinquentões

A revista Valor econômico traz em seu site uma reportagem mostrando um levantamento feito empresa de recrutamento Exec, na qual informa que desde 2015 mais de 38% dos profissionais que foram selecionados para cargos executivos estavam acima da faixa etária dos 50 anos. E ainda segundo o levantamento, no passado eles representaram apenas 15% dos escolhidos nas listas finais dos processos seletivos. Leia matéria na íntegra.

Mais prioridade para os maiores de 80 anos

Neste mês de abril, mais boas notícias para a geração grisalha. De acordo com a imprensa o Plenário do Senado aprovou o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 47/2015 que concede prioridade especial às pessoas com mais de 80 anos. A proposição determina expressamente que, entre os idosos, os maiores de 80 anos terão prioridade em atendimentos de saúde, exceto em emergências, e em processos judiciais.

Como toda revolução ou transformação de valores requer tempo, essa mentalidade inclusiva e despreconceituosa com esse mercado formado por pessoas com longas experiências, histórias, competências e habilidades, ainda passará por amplo processo de crescimento e por caminhos que permearão muitas perguntas. Afinal não são as respostas que movem o mundo e sim as perguntas, pois são elas que nos inspiram a descobrir as melhores possibilidades e soluções. Então, o que você pode fazer hoje para aumentar essa inclusão?


Por Antônia Lúcia Figueiredo | Mãe, Jornalista, Redatora, Editora-Chefe das Revistas Appai Educar e Leve.


Deixar comentário

Seu email não será publicado