Leitura do mundo


Professora transforma alunos em monitores e estimula o processo de alfabetização

Além de incentivar os alunos no processo de compreensão da leitura, o projeto InterAgir é Preciso, idealizado pela professora Solange de Souza, estimula o companheirismo e a solidariedade. A atividade é desenvolvida na Escola Municipal Atenas, onde os educandos em um estágio mais avançado no processo de alfabetização se tornam monitores da turma.
O trabalho é simples, objetivo e, ao mesmo tempo, estimulante. Para alcançar este status, o aluno deve conhecer bem as letras já apresentadas, saber formar sílabas e compreender pequenas frases. Vencido o desafio principal, o estudante vira monitor de um amigo de classe que ainda está com dificuldades.
A partir daí, além de incrementar o processo de alfabetização, o projeto se transforma também em método de incentivo ao companheirismo e à cooperação entre as crianças, pois o aluno/monitor passa a ser corresponsável pelo sucesso do amigo. Ao ser nomeado monitor, o estudante recebe um avental, símbolo do seu novo papel naquele contexto. Ele também tem sua fotografia exposta no mural e ganha, como forma de reconhecimento pelo esforço, um livro de histórias. O ciclo se repete até que todos os 28 integrantes da turma tenham alcançado o objetivo inicial: compreender o processo de leitura e escrita.
Ao idealizar o projeto, a professora Solange dos Santos, que há 22 anos leciona na mesma escola, traçou objetivos bem claros: fazer com que os educandos percebam as relações sociais em diferentes contextos; estimular o conhecimento da função social da escrita, valorizar a leitura como forma de conhecimento e permitir que eles se enxerguem como exemplo positivo.
Quando apresentou o projeto aos responsáveis, Solange recebeu mais uma aliada. A mãe de um dos alunos se propôs a confeccionar bolsinhas de diferentes cores onde são colocadas as letras, as cartelas com sílabas e os livros utilizados como material de apoio. A professora ressalta que a participação dos pais é um fator muito relevante no processo de alfabetização: “É importante mostrar aos responsáveis os trabalhos realizados pelas crianças, que comprovem a sua evolução, para que eles também as estimulem na busca cada vez maior da sua autonomia”.

A avaliação é feita diariamente e leva em conta tanto o comportamento do monitor quanto do aluno com dificuldade, além da relação entre os dois. As duplas que estão progredindo continuam com a parceria, enquanto as que não dão certo são substituídas. Os alunos que ainda precisam ser alfabetizados – portanto não se tornaram monitores – recebem a denominação de “monitores em processo”. “Eu procuro levantar-lhes a autoestima, pois eles estão caminhando no processo de aprendizagem e quase conseguindo seu objetivo”, completa a professora.


Por: Marcela Figueiredo

Escola Municipal 09-18-004 Atenas
Rua Gentil de Ouro, s/nº – Bairro Maria Luiza – Inhoaíba – Rio de Janeiro/RJ
CEP: 23059-000
Tel.: (21) 3394-1909
E-mail: ematenas@rioeduca.net
Diretora: Márcia de Barros Salgado
Fotos cedidas pela escola

Deixar comentário

Seu email não será publicado