Flores em vez de mísseis


Cultura de paz promove mensageiros da tolerância, da solidariedade e do diálogo

O mundo vive um colapso quando o assunto é violência. Muito se fala que precisamos de paz, mas apenas falar não basta! Nesse contexto, a Escola Municipal Primário Paralimpíadas Rio 2016 vem, atendendo o proposto pelo Secretário de Educação da cidade do Rio de Janeiro, César Benjamin, refletir, junto com a sua comunidade escolar, fomentando conceitos e práticas para se construir uma educação para a paz.

A violência nas grandes cidades vitimiza milhares de pessoas, principalmente jovens. Assim, o projeto chamado Paz pela Paz dissemina ao máximo o resgate, a defesa e o respeito à vida. Para o coordenador do projeto, Vitor Hugo Almeida, “a educação para a paz é um artifício que necessita de habilidade, competência, conhecimento, atitude e valores imprescindíveis para induzir transformações de comportamento que possibilitem a prevenção da violência”. Dessa forma, a criatividade fomenta qualidade nos espaços de ensino-aprendizagem a fim de transformá-los em locais de humanização e sensibilidade.

Centrada nessa linha de pensamento, a unidade aproveitou o seu aniversário de inauguração para dar destaque ao Paz pela Paz. Após reunião dos representantes de turma com a direção, todos os alunos buscaram alternativas para as práticas de gentileza dentro da escola e levaram para suas salas um debate sobre a violência na cidade, no qual o desafio era representar em cartazes alternativas para agir no espírito da cultura de paz, realizando esse espírito nas suas famílias, em seu trabalho, em sua cidade, tornando-se, assim, mensageiros da tolerância, da solidariedade e do diálogo. “Através da solidariedade o aluno percebe que pode trocar experiência com o outro, aprende a respeitar as limitações dos colegas, bem como as suas próprias dificuldades, mas também identifica que pode contar com o apoio de alguém, caso necessite”, ratifica Vitor Hugo.

Os cartazes foram expostos na atividade em forma de manifesto, que contou com a presença da representante da 10ª Coordenadoria de Educação, Professora Maria das Graças Gonçalves Muller. Num momento emocionante de um pedido pacífico pela cidade, os alunos cantaram a música “Paz pela Paz”, de Nando Cordel.

“A paz do mundo começa em mim. Se eu tenho amor, com certeza sou feliz. Se eu faço o bem ao meu irmão, tenho a grandeza dentro do meu coração”. – Nando Cordel

Para o professor Vitor Hugo Almeida, diretor da escola, é preciso arquitetar uma cultura de paz, como uma espécie de prática coreográfica nos padrões mentais, sempre repassando a mensagem. “Sabemos que sozinhos não seremos capazes de reverter os valores vigentes e contrapor as dificuldades mais efetivas de nossa coletividade. Por isso é imprescindível darmos as mãos e refletirmos sobre a violência que assola a nossa cidade”, ratifica Vitor.

Indagados sobre o projeto realizado na escola, os alunos foram enfáticos. “O que eu penso que a escola poderia fazer para uma cultura de paz é proporcionar momentos de brincadeiras, onde cada um se respeitaria e se divertiria, inclusive com os colegas com necessidades especiais”, diz Leticia Gomes Rodrigues, de 11 anos, da turma 1.502. Já Rayan Almeida Bastos, da turma 1.505 e da mesma idade, demonstrando um grande senso crítico, disse que devemos dar atenção a todos e debater o que há de errado, “sendo sempre responsáveis e se colocando no lugar do outro”. Já Débora Menezes de Oliveira, de 10 anos, da turma 1.501, enfatiza que “um ambiente de paz é um ambiente sadio e de respeito, onde não há brigas”.


Escola Municipal Primário Paralimpíadas Rio 2016
Estrada de Sepetiba, 3.475 – Santa Cruz – Rio de Janeiro/RJ
CEP: 23525-173
E-mail: emparalimpiadas2016@rioeduca.net
Fotos cedidas pela escola

Deixar comentário

Seu email não será publicado