Fazendo acontecer


Projeto reconhece estudantes como força capaz de humanizar o mundo

 

O que é solidariedade? Quando se diz que uma pessoa é solidária? Como é possível ensinar as crianças a cultivar esse valor? A solidariedade é algo que pode ser definido como a tomada de consciência das necessidades dos outros e o desejo de contribuir e colaborar para a sua satisfação. Trata-se de uma virtude que se deve incentivar tanto na família quanto na escola, assim como em outros âmbitos. As crianças não nascem solidárias, mas podemos ensiná-las a despertar para esse sentimento através de muitas formas e em diferentes situações do cotidiano.

A solidariedade quase sempre é considerada uma característica louvável, já que se relaciona a alguma coisa que alguém se determina a fazer sem ser coagido ou esperar qualquer proveito material vindo de sua ação. Essa consideração aponta para uma relação entre ética e solidariedade. Partindo desse entendimento, um projeto pedagógico foi realizado embasado na leitura do livro “Juca Brasileiro – O voluntário: Fazendo acontecer”, de Patrícia Engel Secco, para expor o tema aos alunos e possibilitar a discussão sobre o que pensam a respeito.

Assim, foi comunicado aos alunos que nas duas aulas seguintes eles estudariam as implicações éticas de um tema conhecido: a solidariedade. Foram questionados sobre o que eles achavam sobre isso e foi solicitado que escrevessem no caderno uma definição formulada por eles próprios. Em seguida, sugeriu-se que socializassem suas reflexões, anotando no quadro posteriormente.

Em seguida, um tempo foi reservado para uma parte expositiva sobre as origens da solidariedade. Neste momento surge a informação de que o conceito surgiu no direito romano, que o define como as obrigações que o indivíduo tem com o grupo ao qual pertence, de colaboração coletiva para garantir sua manutenção. Os educadores deixaram claro que essa concepção implica uma vinculação entre as pessoas, mas não deixaram de ratificar que, para os romanos, ser solidário era, na verdade, cumprir uma obrigação social. Hoje tal conceito surge de uma ética de responsabilidade com os outros membros do grupo, pautada pela mútua cooperação.

Após essas considerações, foi distribuído aos alunos o livro de Engel Secco, para que pudessem ler, refletir e levantar as dúvidas. Dessa forma, foram desafiados a esclarecer a temática e relacionar o voluntariado com o conceito de solidariedade, explicando que se trata de um tipo de conduta de pessoas que exercem atividades em diversos ramos da sociedade sem remunerações ou retribuições.

Tais atitudes são muito mais antigas do que convencionalmente imaginamos. No início da industrialização na Europa, o êxodo rural e o crescimento da população urbana levaram a graves problemas sociais, como fome e doenças. Por conta disso surgiram instituições de voluntários que tratavam desses problemas, sobretudo porque o Estado Liberal, pautado pela garantia das liberdades individuais, deixava esse tipo de cuidado para a própria sociedade civil.

As diferentes formas de organização voluntária tiveram papel muito importante para o avanço dos direitos dos cidadãos e conquistas democráticas. Assim, os educadores deixaram claro aos alunos que a ideia de atividade voluntária é muito ampla e compreende partidos, associações religiosas, grupos de intelectuais etc.

No processo de busca de solidariedade, há uma percepção das limitações individuais no sentido de conhecer o outro. Esbarrar no limitado conhecimento de imagens parciais sobre o outro gera uma certa frustração com a não correspondência das imagens com a realidade, que se revela inapreensível. O outro permanece um mistério. De um lado, portanto, fica o condicionamento e, de outro, se tem o mistério, o desconhecido.

Despertar a consciência crítico-social dos alunos, visando posicionamentos de fraternidade e resgate da dignidade humana, possibilitando uma ação solidária deles junto a comunidades carentes mais próximas, era mais um dos objetivos do projeto. Descobrir o valor das ações solidárias, voluntárias, e que eles possam perceber que não há recompensa maior nessas atividades do que compartilhar a alegria, mesmo que por alguns instantes, com aquelas pessoas que, além de passar necessidades, são abandonadas.

Sendo a solidariedade um dos princípios básicos da democracia, é necessária a cooperação entre todos. No âmbito escolar refere-se aos alunos e demais membros da escola, onde se desperta o sentimento da responsabilidade em relação ao grupo, de maneira que cada um se sinta na obrigação moral de apoiar o outro.

Finalizando a atividade, os alunos se dividiram em grupos para debater o tema discutido. Foi solicitado também que elaborassem um texto individual a partir da pergunta “Como a solidariedade pode estar ligada à ação voluntária?”.

Para os professores idealizadores do projeto, Ailson Silva (História) e Ana Cristina Percilio (Português), o conceito de solidariedade nas escolas deve ser construído por meio do convívio social, dia após dia, pois é no cotidiano que as crianças desenvolvem as virtudes.


Colégio Estadual Vila Guarani

Rua Manuel Fontoura, s/nº – Guarani – São Gonçalo/RJ

CEP: 24736-580

Tel.: (21) 3708-1017

E-mail: coordenacao.vilaguarani@gmail.com

Diretora: Celina Cotrim

Fotos cedidas pela escola


Deixar comentário

Seu email não será publicado