Escola do Rio de Janeiro envia cartas para Brumadinho


Meses após o desastre ambiental e humanitário em Brumadinho, que resultou em mais de 200 mortos, a professora Edlaine Borges idealizou um projeto para estimular a habilidade da escrita nos alunos e ao mesmo tempo levar um pouco de conforto e fé para as famílias afetadas pela tragédia e profissionais envolvidos no resgate das vítimas. Veja como foi esse gesto carinhoso!

 

Mais de 200 cartas foram enviadas

O projeto desenvolvido no Colégio Estadual Hervalina Diniz Pires, localizado em Duque de Caxias, mobilizou alunos, educadores, diretores e até familiares. Um vídeo com situações da tragédia foi o norteador, e os estudantes puderam discorrer livremente, tendo como objetivo específico relacionar a escrita a questões de cidadania e solidariedade.

A culminância foi a produção espontânea de diversos vídeos e de mais de 200 cartas enviadas para a cidade mineira. Os parceiros da ação foram as agências dos Correios de Duque de Caxias e de Brumadinho, que assumiram diretamente o envio e recepção, garantindo que os destinatários recebessem as manifestações dos alunos nesse desfecho.

O projeto multidisciplinar abordou português, redação, sustentabilidade e ainda estimulou o senso cidadão dos alunos. A educadora conta que foi um momento de muito envolvimento. “Os jovens se emocionaram bastante e alguns escreveram as cartas em meio a lágrimas”, relata.

 

Relembre o caso

No dia 25 de janeiro deste ano, a barragem da Mina Córrego do Feijão, localizada no estado de Minas Gerais, se rompeu, matando centenas de pessoas e contaminando o rio Paraopeba, um dos afluentes do São Francisco. Os rejeitos devastaram a área administrativa da mineradora, incluindo o refeitório, onde muitos trabalhadores almoçavam na hora do rompimento. Depois de arrasar a área da Vale, a lama da mineradora atingiu comunidades de Brumadinho, destruindo casas, uma pousada e propriedades rurais.

O caso pode ainda ser considerado o segundo maior desastre industrial do século e o maior acidente de trabalho do Brasil. A barragem de Mariana, de 2015, era, até então, a mais grave tragédia ambiental da história provocado por vazamento de minério. Nesta perspectiva, um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) ressalta que o acontecimento em Brumadinho estará, certamente, no topo dos maiores reveses com rompimento de barragem de minério do mundo.

Leia também: Descubra como o ato solidário pode fazer bem para sua saúde

Através da Appai, alunos vão ao teatro pela primeira vez


Por Jéssica Almeida
Fonte
: G1 e ONU


Deixar comentário

Seu email não será publicado