De mãos dadas com a Mãe Natureza


Alunos de Itaboraí não somente aprenderam os conceitos da preservação do meio ambiente, como também agiram, plantando e cultivando mudas

Com o pressuposto de que a escola é reconhecida como um local onde circulam fluxos humanos, onde há investimento, ge­ração de riquezas materiais e culturais e onde se travam interações sociais, docentes da Escola Municipal Promotor Luiz Carlos Caffaro promoveram uma atividade que é cheia de vida, na qual os alunos tiveram contato direto com a mãe natureza.

Ensinar a importância de reflorestar é uma grande oportunidade de proporcionar aos alunos um viés para que eles vejam o mundo de uma maneira diferente e se tornem cidadãos mais conscientes. Assim, articular junto aos alunos o enriquecimento do saber, bem como lhes possibilitar a compreensão de fenômenos da natureza, da ação humana sobre os recursos ambientais é requi­sito indispensável ao processo de aprendizagem.

O projeto batizado de “Sustentabilidade e Preservação do Meio Ambiente” contribuiu de forma relevante para a reflexão dos alunos, já que o conhecimento se constrói através da vivência, ou seja, por meio da aprendizagem de forma significativa e prazerosa. A metodologia de formato dinâmico tornou os alunos mais preparados e informados sobre a educação ambiental, que é um processo longo e contínuo. Assim, viabilizou, acima de tudo, a conscientização de toda a comunidade escolar de que é preciso mudar os hábitos e atitudes.

Para os coordenadores do projeto, Raphael Ribeiro Novaes e Hosana Rodrigues da Silva e Souza, a meta é que a ação educativa saia da escola e atinja a comunidade através de programas de orientação e educação ambiental promovidos pelos próprios alunos. Cientes de que a escola é uma instituição de conhecimento e auxiliadora no processo de conscientização, foi trabalhado o tema meio ambiente/reflorestamento, enfatizando que o equilíbrio da natureza é essencial para a vida na terra e que a escola tem que estar engajada na busca de soluções para a sua preservação. O pontapé inicial foi reflorestar aos arredores da unidade escolar.

Mas tudo começou com pesquisas, tanto na biblioteca quanto na sala de informática, sobre o desmatamento, recursos e reservas ambientais, poluição das águas e do meio ambiente, extinção da fauna e flora, a ação do homem sobre a natureza, preservação e também sobre as plantas nativas do município de Itaboraí, englobando as melhores formas de cultivá-las.

Para consolidar o projeto, os professores desafiaram os alunos a fazer o plantio das mudas na escola, bem como cultivá-las e desenvolver uma dança representativa sobre a ideia da temática, proporcionando uma formação coletiva. Para Raphael, “assim constroem-se valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências acerca da conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à qualidade de vida e sua sustentabilidade. Assim reflorestar é condição sine qua non para atingirmos essas metas”, ratifica.

Diante dos registros acerca da evolução no planeta, um artigo científico do Ministério de Educação, e utilizado como metodologia para a execução deste projeto, enfatiza que nos últimos séculos o ser humano se posicionou como o centro do universo, acreditando que a natureza estava à sua disposição e usufruindo dela de forma irracional, como se fosse infinita. O homem se apropriou de seu processo, alterou seus ciclos, redefiniu seus espaços… Assim, o corpo docente decidiu que esta visão fragmentada não deveria existir na escola, pois os alunos precisam compreender que sem os recursos naturais não há sobrevivência.

Não restam dúvidas de que promover a compreensão das questões ambientais é algo urgente e necessário em todos os segmentos sociais. Para Hosana Rodrigues, no que diz respeito ao contexto escolar, é possível disponibilizar conhecimentos científicos. “A sociedade já os coloca ao alcance dos alunos, constituindo-se assim um espaço ideal de trabalho onde se desencadeiam experiências e vivências formadoras de consciências mais vigorosas porque são alimentadas no saber”, explica.

Para a aluna Franciele da Silva, a educação ambiental é uma necessidade. “Precisamos preservar os recursos naturais. Quando desenvolvemos projetos desse tema na escola, conseguimos multiplicar e conscientizar as informações para todos formando assim uma grande rede para ajudar na preservação do Planeta”, enaltece.

Assim, o sucesso do Sustentabilidade e Preservação do Meio Ambiente explorou a imaginação, a curiosidade e a criatividade, estimulando a temática de interesse, o reflorestamento. Ofereceu aos alunos conhecimentos, conceitos e ideias básicas sobre a necessidade da preservação ambiental. Proporcionou condições para a realização de trabalhos práticos que possibilitassem vivenciar investigações sobre essas questões. Conscientizou os estudantes sobre a importância do meio ambiente e como o homem interfere nele, focando em primeiro lugar a escola e o que pode fazer para preservar. Discutiu sobre os diversos tipos de destruição, agressão e degradação do meio ambiente e foi repassando embasamentos para evitar essa crueldade que alastra a mãe natureza. Ainda estimulou a leitura e a escrita nas diversas áreas relacionadas a esse tema.

Acima de tudo, formou jovens protagonistas criadores de ações que contribuíram na transformação social da comunidade escolar, tornando-se exemplo à sociedade, pois ao conhecerem a geografia do município em que moram e do local em que fica a escola, tiveram ciência das plantas nativas da região, para atuarem de forma significativa no reflorestamento. Embasados neste conhecimento, os alunos produziram textos críticos e argumentativos, bem como criaram cartazes contendo pesquisas e conclusões sobre a temática. E, para selar a excelência do projeto, diversas mudas foram plantadas e cultivadas no pátio da escola.


Escola Municipal Promotor Luiz Carlos Caffaro

Rua Raimundo de Farias, s/n – Ampliação – Itaboraí/RJ

CEP: 24800-000

Tel.: (21) 2635-6629

Coordenadores do projeto: Rapahel Novaes e Hosana Rodrigues

Foto cedida pela escola

 


Deixar comentário

Seu email não será publicado