Construindo a Felicidade


Escola pública da Baixada Fluminense recebe a autora Maria Tereza Maldonado para bate-papo com alunos

 

Desde o início do ano letivo os alunos do Colégio Estadual Padre Anchieta são estimulados a participar de recitais, rodas de leitura e saraus. Essas atividades pedagógicas propostas aos estudantes fazem parte do Projeto de Leitura Escolar (PLE) da Secretaria de Educação, colocado em prática na unidade de ensino. Uma das atividades propostas aos alunos do nono ano do Ensino Fundamental e do terceiro ano do Médio em 2018 foi a leitura do livro “Construindo a Felicidade”, de Maria Tereza Maldonado, autora de mais de 40 obras publicadas.

A parceria entre a autora e a escola vem de longa data. O diretor do colégio, Renan de Oliveira Costa, é leitor das obras de Maldonado há anos e foi um dos entrevistados do seu último livro. Após a publicação dessa obra, surgiu a oportunidade de promover o encontro entre os alunos e a autora. “Quis dar aos estudantes a possibilidade de conversarem com o autor de um livro. Isso pra eles é muito importante e incentiva a leitura, nosso principal objetivo”, explica Renan.

Para receber a autora, os alunos prepararam diversas atividades e convidaram os responsáveis para estar presentes. Eles cantaram e dançaram músicas citadas no livro, assistiram vídeos e fizeram diversas perguntas à escritora. Também construíram duas árvores, uma com fotografias de momentos felizes e outra com os motivos pelos quais eles são gratos. Um dos pontos altos do evento ocorreu quando Maria Tereza Maldonado foi convidada para dançar com os alunos e posteriormente “alimentar” uma das árvores com os motivos pelos quais ela tinha gratidão.

Todas as atividades foram mediadas pela professora de Língua Portuguesa Neia Albino. A docente conta que a proposta inicial foi que a leitura do livro fosse feita em sala de aula, mas com o passar do tempo os alunos foram demonstrando interesse pelo conteúdo e pediram para continuar em casa, o que surpreendeu a professora. “O maior problema que eu percebo em sala de aula é a falta de leitura, pois muitos alunos não têm esse hábito, por isso a ideia inicial era formar grupos durante a aula para lermos juntos. Fui surpreendida com o interesse deles”, declarou Neia.

Na opinião da professora, dois fatores colaboraram para essa motivação dos alunos. Um deles é a temática abordada e o segundo é a forma como o trabalho foi conduzido. “O livro diz pra gente ser feliz e isso é um desejo de todas as pessoas. Por este motivo o tempo em sala de aula não pode ser penoso para os alunos, deve ser agradável. Existe a avaliação, mas o meu objetivo é que eles se divirtam aprendendo”, Ressalta Neia.

O resultado do trabalho desenvolvido a partir da leitura do livro foi imediato. Heloísa Ponce, diretora adjunta da unidade de ensino, afirma já perceber uma mudança positiva no comportamento dos alunos. “Aumentou a frequência na biblioteca e o empréstimo de livros. Estamos trabalhando para criar o hábito da leitura e fazer com que deixe de ser uma obrigação e passe a ser um prazer”, salienta a diretora.

Heloísa destaca também a influência da leitura no bom desempenho em outras áreas. “O costume de ler e a interpretação auxiliam o desenvolvimento do aluno em todas as outras disciplinas. As diferentes atividades que fizemos a partir da abordagem de “Construindo a Felicidade” foi a materialização da obra através da interpretação dos estudantes. Toda escola poderia estimular a leitura utilizando métodos lúdicos”, completa Heloísa.

Para o aluno Davi dos Anjos, o livro ensina a ciência de ser feliz no dia a dia e a importância de converter os obstáculos em coisas positivas. “Pra mim, felicidade é o que nos faz bem. É transformar os problemas em aprendizado”, afirma o aluno do nono ano.

Maria Tereza Maldonado nunca pensou que este livro seria adotado por uma escola e ficou surpresa com o que presenciou no Colégio Estadual Padre Anchieta. “Os estudantes fizeram perguntas muito pertinentes sobre a obra e sobre o meu trabalho”, afirma a escritora.

No livro, a autora entrelaça o conteúdo de pesquisas com depoimentos dos entrevistados. Na sua visita à escola, Maria Tereza afirmou que, durante a construção da obra, pôde perceber algumas características comuns nas pessoas que se dizem felizes: “quem vive uma vida simples e valoriza o tempo com outras pessoas é mais feliz, assim como aqueles que se dedicam a uma causa e cultivam a fé para superar as dificuldades”.


Por Marcela Figueiredo
Colégio Estadual Padre Anchieta
Avenida Trinta e Um de Março, s/nº – Parque Paulista – Duque de Caxias/RJ
CEP: 25261-000
Tel.: (21) 3666-1278
Fotos: Marcelo Ávila

Deixar comentário

Seu email não será publicado