Brasil conquista novos leitores


Pesquisa revela o que os professores estão lendo e quem tem movimentado o mercado literário brasileiro

O Sucesso da XVIII Bienal Internacional do Livro foi estrondoso. Mais de 700 mil pessoas passaram pelos três pavilhões do Rio Centro, nos quais ocorreram mais de 360 horas de programação, 40% a mais do que na edição anterior em 2015. Não somente os escritores famosos chamaram atenção do público, mas a busca pela leitura. Tal fato comprova o que mostra a 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro (IPL) ao Ibope, que revela que 56% dos brasileiros são hoje considerados leitores e que a média de livros lidos por ano é de cinco. Ou seja, mais pessoas estão lendo mais, em comparação com a última pesquisa realizada em 2011, que apontava 50% de leitores. Um acréscimo de 6% em 5 anos.

A pesquisa ouviu mais de 5 mil brasileiros alfabetizados, com idade de cinco anos em diante. As análises, aliás, constituem ponto de sensível melhora na apresentação do trabalho, além dos diversos textos de autores envolvidos com a questão do livro e da leitura no Brasil. Uma das perguntas que a publicação tenta responder é: quem são os brasileiros que estão lendo mais e o que estão lendo?

Os resultados provenientes da pesquisa aprofundada que o Instituto Pró-Livro oferece a cada quatro anos possibilitam avaliar o impacto das políticas e ações, identificar avanços e impasses e contribuir com outros estudos para acentuar o conhecimento sobre as principais questões que envolvem a formação leitora e a melhoria da qualidade e dos indicadores dos brasileiros nesse item.

Mas transformar o Brasil em um país leitor não é tarefa fácil. De acordo com o IPL, isso exigirá décadas de investimentos e ações efetivas e contínuas, orientadas por políticas e programas construídos pela sociedade e pelo governo. São muitos os agentes dessa transformação e há necessidade de unir essas ações. A pesquisa contribui com o mapeamento e com a divulgação e a qualificação das informações e dos estudos sobre o comportamento do leitor brasileiro. Contribui também para a formação de uma representação positiva sobre a importância da leitura ao auxiliar a mídia e qualificar as informações e matérias sobre leitura e leitores. Certamente a valorização da presença do texto no imaginário da população conscientiza sobre o direito que todos têm de serem leitores plenos.

A edição atual confirma que o gosto pela leitura é uma construção que vem da infância, bastante influenciada por mães e pais. A família tem um papel fundamental no despertar do interesse por essa atividade, seja pelo exemplo, ao ler na frente dos filhos, ou ao promover a leitura para eles. A importância da mediação é confirmada quando se comparam respostas de leitores e não leitores: 83% não receberam a influência de ninguém, enquanto 55% relataram ter experiências com a leitura na infância pela mediação de outras pessoas, especialmente mãe e professor.

Em relação às formas de acesso ao livro, cerca de metade dos entrevistados indicou o empréstimo de parentes ou conhecidos, bibliotecas ou outros locais, como principal meio de acesso. Mas o que merece ser destacado é que 30% dos entrevistados afirmaram nunca ter comprado um livro e somente 26% informaram ter comprado algum livro. Esses números demonstram que o mercado do livro é movimentado por cerca de 1/4 dos brasileiros.

Monteiro Lobato e Machado de Assis estão entre os escritores que os leitores entrevistados mais gostam e conhecem. De acordo com eles, a importância da leitura oportuniza conhecimento, atualização e crescimento profissional. E sobre a polêmica dos impressos serem extintos, os leitores ratificam que preferem ler no papel, apesar do percentual de quem já leu livro digital ser de 34%. Já entre aqueles que relatam gostar muito de ler o número chega a 38%.

Entre os títulos mais lidos pelos professores brasileiros estão os religiosos e obras de autoajuda com vendas muito expressivas no país. Segundo o levantamento, 84% dos docentes no Brasil são considerados leitores, ou seja, leram pelo menos um livro inteiro ou em partes em três meses. A média ficou em 5 livros nessa mesma perspectiva de tempo. Confira abaixo os 5 livros mais lidos pelos educadores:

1 | Trilogia Jogos Vorazes (Mockingjay, 2010) – Suzanne Collins: Toda a trilogia foi adaptada para o cinema em quatro produções. O último livro da saga Jogos Vorazes é sucesso entre o público jovem-adulto. Escrito pela estadunidense Suzanne Collins, a trama se passa no futuro, quando, destruída por guerras, a América do Norte passa a se dividir em 12 distritos e uma capital. A esperança retrata o desfecho da luta de Katniss Everdeen, protagonista e líder da rebelião contra o governo autoritário do novo país.

2 | O monge e o executivo: uma história sobre a essência da Liderança (The servant, 1998) – James C. Hunter: O maior mercado da obra está no Brasil, onde já vendeu mais de 3 milhões de cópias desde seu lançamento em 2004, pela editora Sextante. O livro do norte-americano James C. Hunter é considerado uma obra de autoajuda profissional. Focada no que autor considera ser a verdadeira liderança, mostra ensinamentos sobre como ser um bom líder por meio da servidão ao outro.

3 | Amor nos tempos do cólera (El amor en los tiempos del cólera, 1985) – Gabriel García Márquez: O ponto de partida para o enredo do livro veio da história dos pais de García Márquez. Considerado pelo consagrado autor colombiano como sua melhor obra, conta a história do romance entre Florentino e Fermina, amantes na Colômbia do século XIX. Impedidos de ficar juntos na juventude pelo pai da moça, o casal vive um amor a distância que dura mais de 50 anos, até que os dois se reencontram na velhice.

4 | O símbolo perdido (The Lost Symbol, 2009) – Dan Brown: Ambientado em torno da maçonaria nos Estados Unidos, a história deixa de lado os conflitos com a igreja católica trazidos nos dois sucessos anteriores do autor: Anjos e Demônios (2000) e o polêmico O Código da Vinci (2003). Esse é o quinto best-seller do autor. Em seu primeiro dia de vendas, o livro vendeu 1 milhão de cópias nos EUA, no Reino Unido e no Canadá. A trama narra a terceira aventura do simbologista Robert Langdon, o mais famoso personagem do escritor.

5 | Fisiologia do exercício: nutrição, energia e desempenho humano (Exercice Physiology, 1981 – 1ª versão) – William D. Mcardle: O autor é professor emérito do departamento de família, nutrição e saúde do exercício da Queens College of the City University of New York, nos Estados Unidos. O livro se propõe a ser uma fonte de conhecimento para estudantes e instrutores da área de educação física. Atualmente em sua sétima edição, traz princípios científicos, entrevistas e pesquisas relacionadas aos diversos aspectos que compõem o tema.

Você conhece a rede social Skoob?

Quem nunca quis poder organizar os livros já lidos, fazer uma resenha e comentar com outras pessoas sobre um determinado livro numa rede social? No Skoob é possível fazer tudo isso!

Como toda rede social, você precisa criar seu perfil, com nome, foto, e-mail etc. Além disso, pode adicionar seus gêneros literários favoritos, marcar os livros como “lido”, “lendo”, “vou ler”, “relendo”, “abandonei” e classificá-los como “tenho”, “desejado”, “meta de leitura” e “emprestei”. E ainda tem a opção de trocá-lo com outros usuários.

Você pode ver o que as pessoas acham de um livro, fazer uma resenha, ver quantos já o leram, quantos estão lendo, quantos abandonaram. Se você quer ler uma obra, mas está na dúvida, é sempre bom visitar a página dele no Skoob antes. Você pode ver também se mais homens ou mulheres o leem, a sinopse e escolher a capa que você tem para salvar na sua estante virtual… É algo bem elaborado e diversificado!

Ficou curioso por que o nome Skoob? Então leia a palavra de trás para frente. Sim, “books” em inglês quer dizer livros. Essa é a nossa dica pra você se conectar com milhares de leitores!


E você, professor, o que tem lido atualmente?

Envie um e-mail para redacao@www.appai.org.br e conte para a gente a sinopse da obra,

seguidas do título e nome do autor do livro. Queremos muito saber o que nossos

leitores leem paralelamente à Revista Appai Educar.


Deixar comentário

Seu email não será publicado