Appai qualifica jovens aprendizes para o mercado de trabalho


O consolidado projeto que qualifica jovens e adolescentes no mundo do trabalho tem sido um sucesso no Programa de Projetos e Ações Sociais (PPAS). Em parceria com a Fundação São Martinho, a Appai tem colocado em prática o Programa Jovem Aprendiz que se sustenta na Lei da Aprendizagem (10.097/2000), realizando investimento social diretamente com o curso de formação básica, que é dividido em duas partes (curso de capacitação básica e inserção no mundo do trabalho), tendo por finalidade viabilizar o ingresso de jovens no mercado formal de trabalho, oferecendo aos participantes a oportunidade de entrar no primeiro emprego, contribuindo em sua formação técnico-profissional-metódica.

Realizado nas dependências da São Martinho, o curso tem como objetivo fortalecer as habilidades, competências e potencialidades dos jovens. Durante todo o curso, a equipe técnica acompanha e os orienta nos aspectos afetivo, social e cognitivo, visando o desenvolvimento pessoal e profissional. São realizadas oficinas e ciclo de palestras e atividades culturais, num período de três meses, de segunda a sexta-feira, com duração diária de 3 horas. A cada semestre são formadas 4 turmas, manhã e tarde, com aproximadamente 25 alunos cada. Todos os professores possuem formação superior.

A grade de ensino é composta por quase 220 horas com atividades de ação educativa, que são:

Relações Humanas

19h30m

Noções de Administração

19h30m

Oficina de Textos

19h30m

Comunicação Oral e Escrita

19h30m

Inclusão Digital

39h

Vivências no Ambiente Organizacional

19h30m

Educação e Cidadania

19h30m

Musicalidade (canto, percussão, violão e violino)

19h30m

Jogos Esportivos ou Judô

19h30m

Ciclo de Palestras (Educação Sexual; Legislação Trabalhista; Educação Financeira; Lei da Aprendizagem)

12h

Atividades Culturais (visitas a museus, CCBB, Biblioteca Parque Estadual etc.)

12h

 

Após a finalização do curso, os jovens também estão aptos a participar dos processos seletivos da Appai, junto com outros integrantes que vêm de outras organizações cadastradas no PPAS, para assim oportunizar aos que vêm de comunidades.


Deixar comentário

Seu email não será publicado