A educação de valores éticos e morais na escola


Nos dias atuais percebe-se que o mundo está carente de valores éticos e morais: fome, guerras, corrupção dos governantes, mentiras, desigualdade social e um grande número de outras injustiças e violências diariamente vêm à tona, não só em noticiários de jornais, mas também na realidade imediata de muitas pessoas. Este fato conduz a uma reflexão: não seria tempo de o homem repensar os seus atos, deixando de lado atitudes egoístas para dedicar-se à construção de uma sociedade fraterna, justa e verdadeiramente comprometida com o cidadão?

Quanto à escola, entende-se que é tarefa e responsabilidade sua complementar a educação de valores que os alunos recebem em suas casas, de suas famílias. Mas, para que esta educação seja realmente fecunda ao educando, os professores necessitam acreditar na importância deste ensino, planejando com esmero suas práticas pedagógicas, evitando, assim, atividades feitas a esmo.

A escola traz para o interior de seus muros conflitos, aflições e as mais diversas demandas que levam professores, alunos e gestores escolares a criarem espaços, em seus projetos pedagógicos, para que os educandos discutam e opinem sobre suas inquietações e aspirações pessoais e coletivas. E é exatamente nesse momento, quando é propiciada a formação de espaços, ocasiões, fóruns para discussão sobre a violência urbana, meio ambiente, paz, família, diversidade cultural e equidade de gênero, que a educação em valores começa a ser desenhada e vivenciada como processo social que se desenvolve na escola. Esta, através de seus professores, imprime valores no espírito dos seus educandos por meio de recomendações do que considera correto, justo e ideal para a prática de valores.

Conclui-se que a escola não deve se ausentar da educação de valores, exercendo, assim, sua função humanizadora e educadora, formando um pensar crítico no aluno e capacitando-o a agir com desenvoltura e consciência ante os problemas da sociedade e que necessita efetivamente incluir a educação de valores em seu currículo, auxiliando, deste modo, a formar cidadãos íntegros e moralmente comprometidos consigo mesmos e seus semelhantes, o que levará à formação de uma sociedade fraterna e justa.

Uma proposta educacional com grandes chances de sucesso é trabalhar valores como ética, justiça, dignidade, respeito, responsabilidade, amizade, honestidade, solidariedade, autodisciplina, amor, confiança, compreensão, paz e fraternidade em sala de aula, não de modo esporádico e superficial, mas de forma amiúde e profunda, o que refletirá positivamente na construção da cidadania e do próprio perfil interior do educando.


*Maria Nágila Mendes Coelho é especialista em Gestão Escolar e mestranda em Ciências da Educação, além de diretora da Escola de Ensino Fundamental e Médio Professor Arruda. E-mail: marianagilam@hotmail.com.


Deixar comentário

Seu email não será publicado