Sucesso faz Globo antecipar série sobre Escola Pública

A realidade dos professores brasileiros

Foi tão grande o sucesso da série que aborda o universo de professores de um colégio público que a Rede Globo antecipou o horário de exibição de “Segunda Chamada”. O programa passou a ser apresentado no horário nobre, logo após a novela “A Dona do Pedaço” deixando a faixa das 23h30.

Você, professor, já assistiu? Se identificou com os problemas enfrentados pelos professores?

A história é protagonizada por Débora Bloch e Paulo Gorgulho (diretor) tendo ainda no elenco interpretando professores, entre outros, Thalita Carauta (Matemática) e Sílvio Guindane (Artes).

A trama mostra a missão desses profissionais interagindo com as histórias de vida e desafios superados pelos alunos do turno noturno – EJA (Programa de Educação para Jovens e Adultos). Apesar de estarem entre 17 e 70 anos, todos têm em comum o fato de estarem tentando uma segunda chance para encerrar o ensino médio.

Sucesso faz Globo antecipar série sobre Escola Pública

 

As autoras Carla Faour e Júlia Spadaccini criaram para a trama um espaço batizado de Escola Estadual Carolina Maria de Jesus – em homenagem a uma das primeiras escritoras negras do Brasil.

Embora o cenário seja fictício, os problemas espelham a realidade dos matriculados no EJA – que chegam cansados após trabalharem durante o dia em um ambiente não muito engajador com quadros desgastados, carteiras pichadas, falta de professores, ventiladores quebrados, localidades perigosas, entre outros problemas.

Os dramas dos alunos também não são inéditos para professores de instituições públicas de periferias brasileiras: violência, drogas, conflitos religiosos, diversidade sexual, perda da virgindade, gravidez indesejada, falta de estrutura familiar… Enfim, histórias com as quais qualquer professor que trabalhe no EJA convive constantemente em seu dia a dia.