Fatos Relevantes e de Interesse Coletivo


Dentre os muitos roteiros do benefício Passeio Cultural, um chama a atenção por ter forte procura e poucas vagas. O AquaRio, no Porto Maravilha, o maior aquário marinho da América do Sul. Recentemente conseguimos convencer os administradores deste espetacular “santuário” a aumentar nossa cota semanal de ingressos. Isso deve melhorar o acesso e reduzir a fila de espera. Gradual e lentamente estamos chegando lá!

Visando dar oportunidade ao maior número de membros do quadro associativo, informamos que novas inscrições estarão fechadas até que todos na fila sejam atendidos, com prioridade para aqueles que, eventualmente, não tenham tido oportunidade de usar os outros benefícios disponibilizados. Logo, a intenção é que todos sejam contemplados, acreditando que será apenas uma questão de conscientização, paciência e bom senso, já que os benefícios devem ser usufruídos por toda a coletividade integrante do quadro associativo. Porém, em conformidade também com as limitações e regras das parcerias através das quais os eventos são viabilizados juntamente com a APPAI.

Nesse sentido, pedimos também para que as pessoas que tenham êxito na confirmação da vaga no evento escolhido não faltem injustificadamente, como aconteceu, por exemplo, na Feijoada do dia 3 de agosto, do Agitô, em que 195 inscritos não compareceram, o que restringiu a oportunidade para o mesmo número de outros membros. Uma pena!

Sobre a questão da emergência 24 horas/hospital, a solução é complexa e difícil após sucessivos usos indevidos que muitos associados promoveram, ora através de liminar judicial ou mesmo se comprometendo a arcar com as pertinentes despesas, mas não cumprindo. Na verdade, observamos que muitos tentaram utilizar o serviço de emergência 24 horas como um trampolim para internação de alguém que não dispunha de um plano de saúde que garantisse essa cobertura. Logicamente essas pessoas não poderiam estar internadas sem efetivamente pagarem as despesas, afinal se tratavam de hospitais da rede particular. Isso gerou a saída compulsória desses estabelecimentos, após sucessivos prejuízos.

Sobre esse tema, devemos lembrar que os procedimentos de emergência disponibilizados através do benefício coletivo médico na segmentação ambulatorial da Associação estão previstos e limitados no Regulamento Coletivo, não existindo previsão de cobertura para pronto atendimento, pronto-socorro, internações em CTI e/ou UTI, posto ter sido idealizado, muito antes da lei que regula os produtos de saúde, para atender necessidades básicas do grupo associativo, já que a preocupação, à época, foi a de atuar com sinalização preliminar e prevenção de doenças.

Fato é que os hospitais de emergência 24 horas realizaram um bom atendimento, até mesmo fora da cobertura prevista nos nossos regulamentos, mas, por não receberem a contrapartida das despesas geradas por esses associados e seus dependentes com a evolução do quadro para internação, justificadamente desistiram de beneficiar as demais pessoas, com receio de novos casos e mais prejuízos. Infelizmente essa é a realidade!

Cabe-nos lembrar ainda que no sítio institucional da APPAI, há anos estamos pedindo aos associados que não façam uso indevido dos benefícios e não tentem desviar-se de suas finalidades, como aconteceu no caso da emergência 24 horas, um serviço sempre muito útil para todas as pessoas em algum momento da vida. Nesse contexto, reiteramos que todas as diligências e esforços possíveis sempre estarão sendo realizados pela associação com o único propósito de garantir os interesses e as finalidades em prol do quadro associativo.

Infelizmente, na hora do aperto, muitas vezes o que se vê é outro posicionamento, e o grupo acaba prejudicado e sofrendo as consequências. Veja a imagem abaixo, que esta na nossa página inicial, onde essas questões aparecem bem explicadas:

Importante lembrar, por fim, que a Associação disponibiliza várias formas de comunicação para os membros e uma boa sugestão sempre será bem-vinda!

Appai